Por que inserir o jovem no mercado de trabalho?

jovem mercado

A economia brasileira ainda precisa crescer bastante, muitas oportunidades estão surgindo e é necessário capacitar os futuros profissionais. Essa tarefa só será possível com a inclusão do jovem no mercado de trabalho, para que ele ganhe experiência e, quando tiver mais idade, possa desenvolver tarefas mais complexas.

A iniciativa ainda é pouco praticada e sofre resistência por parte de algumas empresas, mas essa relação pode ser bastante benéfica para ambas as partes. Enquanto a companhia cumpre sua parte na responsabilidade social e no desenvolvimento da futura economia, os jovens podem ter contato prévio com o mercado e amadurecer seu equilíbrio emocional para enfrentar os desafios que encontrará.

Vejamos agora a importância de inserir o jovem no mercado de trabalho brasileiro, para elevar o nível da capacitação dos nossos profissionais. Confira!

Proporcionar crescimento e aprendizado

Todos os cargos, em qualquer área, podem ser beneficiados com a capacitação do jovem. Afinal, nele podem ser incutidos os valores nos quais sua empresa acredita, além de preparar a mão de obra para que o mercado profissional brasileiro se torne mais capacitado e competitivo. Com isso, todas as empresas poderão crescer e enfrentar os negócios internacionais com mais igualdade.

Com a experiência precoce que será adquirida, os futuros profissionais serão capazes de desempenhar atividades com maior nível de exigência e terão mais trato com as questões de disciplina e senso de responsabilidade. Assim, as empresas podem formar mentes comprometidas com a evolução do negócio e um plano de carreira estável.

Desenvolver responsabilidade profissional, social e legislativa

As empresas são peças importantes para a regulação da economia e elas devem retornar uma parte de seus lucros para a sociedade. Isso vai movimentar o mercado e criar condições para que novos negócios sejam feitos. Esse incentivo e apoio profissional inclui a formação de jovens para diversos cargos, seja para atuar na própria empresa ou se candidatar para outras oportunidades.

Também, todas as companhias devem fazer a sua parte na luta por uma sociedade mais igualitária, por isso, contratar um jovem aprendiz é uma chance de conceder o primeiro emprego para ele, garantindo o sustento digno de sua família. Além disso, é importante ter a responsabilidade legislativa de seguir o que manda a “Lei do Aprendiz”, como a reserva de 5% e 15% de jovens aprendizes para desempenhar alguma função dentro das empresas de médio e longo portes.

Como entrevistar um jovem?

Esse processo pode ser dividido em cinco fases:

  • análise do currículo;
  • contato por telefone;
  • redação;
  • dinâmica;
  • e entrevista individual.

Assim, é preciso observar se o currículo está bem estruturado, se o candidato demonstra interesse no contato telefônico, a habilidade de comunicação e trabalho em grupo na dinâmica. Já na entrevista são feitas perguntas para certificar de que aquela é a pessoa certa para a vaga. Como é o primeiro emprego da maioria dos candidatos, a questão da experiência não deve ser considerada.

Os maiores indicadores serão o interesse pela vaga, vontade de aprender, articulação de ideias escritas e verbais, além de um perfil semelhante ao que a empresa procura. Com isso, basta uma avaliação atenta aos detalhes e uma conversa franca, para encontrar o jovem aprendiz ideal para sua empresa.

As oportunidades para o jovem no mercado de trabalho devem ser concedidas não somente pela força da lei, mas, sobretudo, pela consciência da importância que essas chances têm de mudar a vida dos indivíduos, de suas famílias e da sociedade como um todo. Somente dessa forma podemos construir uma economia mais forte e competitiva, semeando o futuro.

Agora que você conhece a importância de contratar jovens, compartilhe este post nas suas redes sociais e mostre aos seus colegas como essa iniciativa pode ser benéfica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *